TERROR DO CARALHO!!
Relatos Pessoais da Morte"Dentre todos os maus que circundam a nossa triste humanidade, os piores deles são os inúmeros mitos sobre a morte. Mas são inúmeros. E cada um mais ridículo que o outro. Não posso confirmar qual das tais teorias está certa, mas posso dizer que tem muita mentira e sujeira no que dizem. Eu espero aqui, pacientemente, a única hora que é certeza na vida, é isso que posso adiantar à vocês. Tem uns que vivem muito, outros nem tanto, mas todos acabam ouvindo a minha voz sussurrando em seu ouvido: ‘sua hora chegou’. Muitos, tristemente, me temem. Perdem suas vidas inteiras tentando evitar esse dia (ou pelo menos adiá-lo), mas posso dizer que, se eu quiser, eu posso acabar com tudo. Não adianta lutar, eu sou a única certeza que você tem e a última companhia que você quer ter. Irônico, não? O mais engraçado de tudo é que eu serei sua única companhia garantida postumamente. Que coisa… Esse pequeno relato, do qual não posso garantir que haverá mais algum após esse, é mais para aqueles que correm de mim como pequenos ratinhos, tentam fugir, se refugiar nos lugares mais longínquos do planeta (ou fora dele). Não tem pra onde fugir, não tem pra onde correr, eu te acho e vou te trazendo lentamente, dia após dia, para perto de mim. Seja na sua rua, no seu bairro, na sua cidade, no seu estado, no seu país, continente, hemisfério, planeta, galáxia, eu te acho. Eu sim sou onipresente, onipotente, onisciente e eterno”

Relatos Pessoais da Morte

"Dentre todos os maus que circundam a nossa triste humanidade, os piores deles são os inúmeros mitos sobre a morte. Mas são inúmeros. E cada um mais ridículo que o outro. Não posso confirmar qual das tais teorias está certa, mas posso dizer que tem muita mentira e sujeira no que dizem. 
Eu espero aqui, pacientemente, a única hora que é certeza na vida, é isso que posso adiantar à vocês. Tem uns que vivem muito, outros nem tanto, mas todos acabam ouvindo a minha voz sussurrando em seu ouvido: ‘sua hora chegou’. 
Muitos, tristemente, me temem. Perdem suas vidas inteiras tentando evitar esse dia (ou pelo menos adiá-lo), mas posso dizer que, se eu quiser, eu posso acabar com tudo. Não adianta lutar, eu sou a única certeza que você tem e a última companhia que você quer ter. Irônico, não? O mais engraçado de tudo é que eu serei sua única companhia garantida postumamente. Que coisa… 
Esse pequeno relato, do qual não posso garantir que haverá mais algum após esse, é mais para aqueles que correm de mim como pequenos ratinhos, tentam fugir, se refugiar nos lugares mais longínquos do planeta (ou fora dele). Não tem pra onde fugir, não tem pra onde correr, eu te acho e vou te trazendo lentamente, dia após dia, para perto de mim. 
Seja na sua rua, no seu bairro, na sua cidade, no seu estado, no seu país, continente, hemisfério, planeta, galáxia, eu te acho. Eu sim sou onipresente, onipotente, onisciente e eterno”